Iniciando em Ubuntu


Como um bom iniciante, faça tudo com muito cuidado, tenha sempre um backup atualizado, leia tudo com atenção e anote as mensagens de erro.

Use as dicas a baixo e sinta o gostinho da liberdade!


1 - Como instalar o Ubuntu sem perder o Windows?
 
O que é o Ubuntu e como instalar:
http://ubuntued.info/como-instalar-o-ubuntu-11-04-natty-narwhal
 

Primeiros passos depois de instalar o Ubuntu: Siga os passos e a maioria dos seus problemas estarão resolvidos!!!
http://alinetux.blogspot.com/2011/04/instalando-codecs-e-programas.html

http://www.ubuntudicas.com.br/blog/2011/07/ubuntu-perfeito/


2 - Não consegui me adaptar a interface do Ubuntu e nem quero voltar para o Windows, o que eu faço?

Fácil, Troque a interface!


Deixe o Ubuntu com cara de Windows 7:
http://tecnoblog.net/37907/deixar-ubuntu-com-cara-de-windows-7/

Ou do XP:
http://www.hephesto.com/agrega/?p=1205


Mas falam que isso é heresia. Então tente esta alternativa:
http://alinetux.blogspot.com/instale-outras-interfaces-graficas.html


3 - Tem joguinhos para Linux?

É claro! O jeito mais fácil de escolher e instalar é pelos sites:
http://www.ubuntugames.org/
http://ubuntued.info/playdeb-jogos-para-o-ubuntu


4 - Tem o programa "Xpto" para Ubuntu?
  
Confira a lista de programas equivalentes:
http://wiki.ubuntu-br.org/ProgramasEquivalentes

Se não estiver na lista tente instalar o .exe via WINE:
http://ubuntued.info/instale-e-mantenha-o-seu-wine-actualizado
http://pt.wikipedia.org/wiki/Wine
 

5 -
Como obter ajuda?


O jeito mais rápido que encontrei foi no fórum do Guia do Hardware e do Clube do Hardware. É só fazer uma pesquisa e se ainda tiver dúvida, crie um novo tópico com sua pergunta.

http://www.guiadohardware.net/comunidade/
http://www.vivaolinux.com.br
http://forum.clubedohardware.com.br/

E obviamente, o pai dos curiosos, Google

6 - Comandos importantes do Ubuntu
  1. Atualizar a lista de pacotes: sudo apt-get update
  2. Efetua a atualização: sudo apt-get upgrade
  3. Instalar pacotes: sudo apt-get install [nome do pacote]
  4. Procurar pacotes: apt-cache search [palavras chave]
  5. Procurar por dependências inválidas: sudo apt-get check
  6. Corrigir problemas de dependências, concluir instalação de pacotes pendentes e outros erros: sudo apt-get -f install  
  7. Se o comando sudo apt-get -f install não resolver use: sudo dpkg -i --force-all para forçar a instalação ou sudo dpkg -r [nome do pacote] para desistir da instalação
  8. Remover arquivos inúteis do cache, onde são registradas as cópias das atualizações que são instaladas pelo gerenciador de pacotes: sudo apt-get clean 
  9. Remover pacotes instalados automaticamente e que não tem mais nenhuma utilidade para o sistema e que consome recursos da máquina: sudo apt-get autoremove 
  10. Remover pacotes antigos ou duplicados: sudo apt-get autoclean 
  11. Remover pacotes com problemas: sudo apt-get -f remove 
  12. Remover pacotes instalados: sudo apt-get remove [nome do pacote] 
  13. halt, reboot, shutdown:  Respectivamente encerra, reinicializa e encerra ou reinicializa o sistema.
  • "sudo halt” para encerrar o sistema. 
  • ”sudo reboot” para reiniciar imediatamente o sistema. Este comando equivale aos comandos
  • ”sudo init 6” e ”sudo shutdown -r now”. 
  • ”sudo shutdown -h now” para encerrar o sistema imediatamente. 
  • ”sudo shutdown -h +15” para encerrar o sistema daqui a 15 minutos. 
Encontre mais comaindos importantes no que eu chamo de "Guia básico de sobrevivência"


7 - Os Sete Hábitos do Usuário Linux Eficiente

O blog de Rami Taibah publicou um interessante artigo sobre os 7 hábitos do usuário Linux eficiente
Taibah testemunha o que é conhecimento geral: apesar de apresentar-se como um desafio, começar a utilizar o Linux é um processo facilitado pela colaboração da sua comunidade de usuários. Fora, blogs, sites, revistas e ainda mais mídias são utilizadas para divulgar dicas e howtos. Esta lista vem juntar-se a este material como uma forma de colaborar com que está trilhando este caminho. Em pouco tempo o usuário pode começar a andar com seus próprios passos, consultando as páginas de pessoal e fazendo suas experiências – esta é a hora em que ele começa a colaborar.
Vamos à lista:

1. Nunca permanecer logado como “root”
Esta é uma dica valiosa. Muitas bobagens podem ser feitas (em qualquer sistema operacional) quando o utilizamos logados com poderes de super-usuário. Um comando mal escrito é o suficiente para causar um grande estrago. Portanto
  • Use “su” ou “sudo” para executar alguma tarefa administrativa – e somente quando isso for imprescindível – e feche a sessão assim que possível.
  • Se for inconveniente trabalhar no modo texto, execute algum programa gráfico com “gksu”, “gksudo” ou “kdesu”. por exemplo, pressione <ALT>+<F2> e digite “gksudo nautilus /tmp/”. Feche a aplicação assim que completar a tarefa.
2. Forneça nomes convenientes a seus arquivos
Em Linux você pode utilizar virtualmente qualquer caracter no nome de um arquivo. Mas nem todos são convenientes e podem trazer problemas na hora de serem utilizados. Então
  • Utilize somente caracteres alfanuméricos (preferencialmente minúsculos), ponto, hífen e sublinhado.
  • Fuja incondicionalmente de símbolos como porcentagem, cifrão, chaves e colchetes. Eles têm significados especiais e podem causar má interpretação
  • Evite o uso de espaços. Prefira trocá-los por hífens ou sublinhados
3. Mantenha o diretório /home em uma partição distinta
O diretório /home mantém dados pessoais dos usuários. Se ele estiver em uma partição em separado, você pode ficar à vontade para fazer reinstalações do sistema operacional, basta não formatar esta partição. A partir da versão do Ubuntu (8.04) é permitido fazer uma reinstalação sem sobregravar este diretório, mas ainda é uma boa prática mantê-lo em separado.

4. Gerencie eventuais travamentos
O Linux é muito robusto e estável, mas é possível que você depare-se com situações de travamento. Particularmente, eu nunca assisti a um travamento do sistema operacional em si. Mas programas isolados podem travar e começar a utilizar recursos de forma predatória. O hardware também prega suas peças de vez em quando. E ações inapropriadas de usuários – especialmente quando com poderes de root – também podem ser perniciosas. Mas não pressione o <CTRL>+<ALT>+<DEL> em vão. Nem aperte o botão de Ligar/Desligar de seu computador. Tente seguir estes passos
  • Mantenha um item de “Fechar Forçado” em seu painel (as barras no topo ou no base de seu desktop). Se um aplicativo travar, clique neste item e depois sobre o aplicativo desobediente, terminando-o
  • Abra um terminal e digite “ps -A | less” ou um “top”. Procure o número do processo (PID) que deseja fechar e mate-o com um “kill -9 PID”
  • Use o “killall”, como um “killall firefox”
  • Se a interface gráfica estiver comprometida e não for possível abrir um terminal, pressione <CTRL>+<ALT>+<F1>, abra uma nova sessão e siga os dois passos anteriores por lá
  • Se a solução for reinicializar a interface gráfica, tente fazê-lo com as teclas <CTRL>+<ALT>+<BACKSPACE>
  • Se nada estiver funcionando e reinicializar o sistema completo for a única saída utilize o <CTRL>+<ALT>+<F1>, abra uma nova sessão e use o <CTRL>+<ALT>+<DEL> nesta sessão
  • Se você chegou até aqui é que a situação deve estar realmente crítica. Mesmo assim, ainda há um passo antes do botão de Liga/Desliga. Utilize as teclas de emergência <ALT>+<PRINT SCREEN>+<O> para desligar o sistema ou <ALT>+<PRINT SCREEN>+<B> para reiniciá-lo. Conheça outras teclas de emergência no Wiki em português do Ubuntu.
5. Teste até se encontrar
Um amigo pode ter lhe influenciado a escolher determinada distribuição ou interface gráfica do Linux. Provavelmente terá sido uma opção que funcionou bem para ele. Mas, e para você? Pode ser que exista outra opção mais produtiva. Veja o Ubuntu, por exemplo: usuários “clean” gostam da interface Gnome padrão, os mais habituados a interfaces de outros sistemas operacionais preferem o KDE do Kubuntu, quem tem equipamento mais modesto tem de se virar com XFCE do Xubuntu, estudantes do ensino fundamental podem gostar do Edubuntu, quem trabalha com multimídia prefere o Ubuntu Studio e assim por diante. Então, faça experiências. Você pode utilizar uma partição somente para testes, um computador ou mesmo utilizar um virtualizador para isso.

6. Adote a Interface em Linha de Comando (modo texto)
Sim, a interface gráfica facilita – e muito – a nossa vida. Eu posso passar dias sem utilizar uma interface em linha de comando. Mas o poder e a flexibilidade que este tipo de interface oferece é inigualável. Muitas tarefas que dependem de múltiplas janelas e cliques podem ser executadas com um único comando. Aprenda cada dia um pouco mais sobre a interface em linha de comando.

7. Esteja sempre pronto para utilizar o Linux
Sabe quando seu amigo pede para que você faça algo no computador dele – que só tem outros sistemas operacionais – e você sabe que tudo seria mais fácil se estivesse usando Linux? Então mantenha por perto uma opção para utilizá-lo. Pode ser uma versão que execute de um CD ou de um pen-drive, mas pode ser sua salvação. Já tive um amigo cujo computador travou, executou um aplicativo de verificação de disco e removeu um certo diretório da máquina dele – o diretório /Windows. O computador estava operacional, mas sem a interface gráfica, algo abominável para alguém como ele. Um Linux que rodava a partir de um disquete e uma unidade de backup externa foi o que eu precisei para preservar todos seus arquivos, embora eles tenham perdido seus nomes longos. Até mesmo um software antivírus executado de um pen-drive com Linux pode quebrar um bom galho.

8. Um passo além
Ajudar novatos também é muito bom. Não apenas para fazer uma “boa ação”. Mas novatos costumam trazer desafios que nos obriga a estudar ainda mais e crescemos com isso. E esse novato ainda vai crescer e quando menos esperarmos, irá nos ensinar alguma coisa.

Um comentário:

  1. oi aline,
    obg por linkar o meu blog www.defendendoolinux.in estou retribuindo.

    ResponderExcluir